Regime chinês usa explosivos para demolir igreja cristã (Vídeo)

Uma explosão foi ouvida esta semana na China, quando as autoridades usaram explosivos para demolir uma igreja cristã pertencente a uma conhecida comunidade evangélica na província de Shanxi, ao norte da China.

“Forças paramilitares da Polícia Armada Popular usaram escavadeiras e dinamite na terça-feira (9) para destruir a Igreja da Lâmpada Dourada na cidade de Linfen, província de Shanxi, de acordo com testemunhas e ativistas estrangeiros e conforme publicado pelo jornal The Washington Post.

A organização de defesa dos direitos humanos China Aid informou que a igreja, cuja construção foi paga inteiramente pelos cristãos que a frequentavam, foi demolida quando a polícia militar chinesa detonou explosivos que estavam localizados nos corredores subterrâneos do prédio.

A mesma organização informou que a polícia militar da China está sob controle direto da autoridade central, já que o chefe do escritório de segurança pública, que anteriormente a comandava, foi preso no ano passado. Isso indica que a ordem para destruir a igreja veio de funcionários de alto escalão e não das autoridades locais.

“A perseguição contra a Igreja da Lâmpada Dourada mostra que o regime chinês não respeita a liberdade religiosa ou os direitos humanos”, disse o presidente e fundador da China Aid, Bob Fu.

Esta é a segunda demolição ocorrida no último mês. Em 27 de dezembro, outra igreja foi destruída na cidade de Xian, na província central de Shaanxi, informou o jornal The Guardian.

Líderes da Igreja da Lâmpada Dourada foram presos simplesmente por participar dos cultos.

A demolição de uma igreja católica no ano passado deixou os cristãos preocupados com a possibilidade de o regime começar a ordenar a destruição maciça de edifícios religiosos em todo o país, assim que as novas regulamentações religiosas entrem em vigor no próximo mês. Esses regulamentos dão ao Partido Comunista Chinês maior poder sobre a religião, preparando o terreno para uma escalada da perseguição.

A organização China Aid pediu à comunidade internacional que condene abertamente a demolição com o uso de explosivos deste edifício da igreja e exorta o regime chinês a compensar os cristãos que pagaram pela construção, além de cessar imediatamente com essas abusivas demolições de igrejas.

Enquanto ainda estava sendo construído, em 13 de setembro de 2009, membros da igreja que dormiam no canteiro de obras foram despertados por 400 oficiais e espancados enquanto o prédio era arrasado. Trinta deles ficaram em estado crítico.

Dias depois, quando Yang “Esther” Xue, filha de dois pastores da igreja, recebeu a notícia dos espancamentos, ligou para casa mas ninguém atendeu. Mais tarde, ela descobriu que seus pais haviam sido presos em 11 de outubro de 2009 como forma de punição contra os líderes da igreja.

Seu pai, Yang Xuan, passou três anos e meio na prisão, e sua tia, Yang Rongli, passou sete anos encarcerada, além de receber uma multa de 30 mil yuans (4.594 dólares).

Sua mãe, Yang Caizhen, foi condenada a dois anos em um campo de trabalhos forçados e espancada enquanto esteve presa, enquanto seu tio, Wang Xiaoguang, recebeu uma pena de prisão de três anos e uma multa de 10 mil yuans (1.531 dólares).

Calcula-se que existem cerca de 60 milhões de cristãos na China. Muitos deles celebram seus cultos em congregações independentes como a Igreja da Lâmpada Dourada.

A crescente popularidade alcançada pelas igrejas não aprovadas pelo Estado provocou o descontentamento das autoridades, que receiam qualquer ameaça ao rígido controle social e político do partido.

Leia também:
China: alto oficial militar vinculado à facção de oposição é expurgado
China: Província da Mongólia Interior falsifica dados econômicos novamente
Regime chinês encarrega empresários de resolverem problema da pobreza na China

 
Matérias Relacionadas